Cinema / Como é difícil adaptar uma hq para o cinema

Salve pessoal.

É verdade que certas HQs quando levadas para o cinema, precisam ser adaptadas. É virtualmente impossível você colocar uma saga publicada em mais de 20 edições em uma trama de 2 horas.

Por mais que você trabalhe com um público que conhece o personagem, viabilizando que você corte todo o começo do filme fazendo apresentações, existem muitos detalhes que precisam ficar de fora para que a história principal seja encaixada na tela.

O problema é quando o roteirista viaja na maionese. Vamos a dois exemplos, um de uma história bem adaptada e outro de uma péssima adaptação.

Akira, de Katsuhiro Otomo é talvez uma das melhores adaptações para o cinema de uma HQ. A história manteve sua essência na animação de duas horas. E olha que estamos falando de um manga com 38 edições. A história se manteve basicamente a mesma: Kaneda e Tetsuo são membros de uma gangue de motoqueiros em Neo-Tóquio, Tetsuo é capturado pelo Coronel para se transformar em uma arma viva, porém ele perde o controle do seu poder e quase destrói o planeta inteiro.

difícil adaptar uma hq

Sei que muita gente vai reclamar, dizendo que o final não é o mesmo e que muitos personagens foram esquecidos ou se tornaram apenas figurantes, mas como falei a animação soube como manter a essência do manga, montando uma história mais curta, porém tão profunda quanto à das HQs.

Agora, quem não soube trabalhar bem a história foi X-Men 3 – O Confronto Final. A ideia até que era boa: mostrar a saga da Fênix Negra. E para isso, foi bolada a ideia de que a Fênix seria Jean Grey utilizando totalmente seus poderes. Dessa forma, não seria necessário mostrar o arco inteiro da Fênix, que envolve histórias com o Clube do Inferno, o Império Shi’ar e outros personagens que apareceram nas HQs.

O problema foi que o roteiro foi extremamente mal feito. Parece algo que foi escrito na última hora, de qualquer jeito. Até hoje não entendo o motivo daquele massacre de personagens, tendo suas principais vitimas o Professor X, Ciclope e a própria Jean Grey. Ou outros personagens perdendo seus poderes, como a Mística, Magneto e a Vampira.

Podemos citar também o filme do Demolidor, estrelado por Ben Affleck. Cortar o personagem Stick, o mestre de Matt Murdock, não foi a melhor ideia do roteirista do filme. E trazê-lo no filme da Elektra foi pior ainda.

Voltando aos casos de sucesso (apesar de parcial),  este mês estreou nos cinemas o filme Homem de Ferro 3. Novamente temos a adaptação de um arco grande de histórias e um vilão de peso: o arco de Extremis e o Mandarim.

Não pretendo dar spoilers aqui, mas posso dizer que Extremis foi muito bem adaptada para o cinema, mas Mandarim deixou muito a desejar. Particularmente esperava muito mais do personagem.

Enfim, adaptar uma história para os cinemas é extremamente complicado. Agora é torcer para que as próximas produções tenham histórias (e finais) melhores do que as atuais.

Decoração quarto da Hazel – A Culpa é das Estrelas

Acho que chorei mais por não ter o quarto da Hazel de A Culpa é das Estrelas do que pelo drama do filme. Vai dizer que você não a-mo-u a cama cercada por estantes, cheia de pisca-piscas? Ou o baú ao pé dessa cama divina que serve como mesa de apoio para o notebook assim que você acorda e recebe o e-mail de seu autor favorito — que poderia ser eu se você comprar meus livros —, hein? No post de hoje vamos fazer um tour pelo quarto da menina e trazer para a realidade esse sonho de consumo gastando o mínimo possível. Vem!

Encontrei esse antes e depois do quarto da Hazel com detalhes, inclusive da tal estante em volta da cama. Comparando os ambientes, você vê que os elementos mais importantes, além do aproveitamente das paredes e janelas, é a disposição da luz. Sem iluminação dentro do nicho onde fica a cama, o quarto ainda pareceria escuro como anteriormente.

Esse baú ao pé da cama tem altura ideal para acordar e ir direto para o Facebook — no meu caso, acordar e responder e-mails dos discípulos ♥ — e guardar tranqueiras. A cor do quarto é serena e os adesivos de árvores na parede em que fica a escrivaninha, recebendo luz da janela, trazem o poder da fantasia para dentro.

Pra ter a mesma vibe que o quarto da Hazel, escolha por paredes azuis acizentados ou um pouco mais vivos. Para contrastar, as cortinas podem ser amarelas e a roupa de cama também, com detalhes em roxo, bege, azul ou lilás fraquinho. Os móveis como a cama, estante e mesa podem ficar na cor branca, que é neutra. Assim, se mudar a cor das paredes, não vai precisar mudar os móveis.

COMO FAZER ESTANTE AO REDOR DA CAMA
Se chamar um marceneiro ou planejadora de móveis por encomenda, vai sair caro ter uma estante como a do filme A Culpa é das Estrelas. Caçando um jeito de reproduzir esse visual no meu quarto, esbarrei com uma ideia maneira: usar caixotes. Empilhados e parafusados, o Pinterest já provou que ficam tão legais quanto os do quarto da Hazel Grace. Se não acredita, olhe as fotos e veja minha galeria de quartos no Pinterest.

Fonte.

A foto acima exibe uma estante montada, simples, por um marceneiro ou aquele parente que sabe cortar, lixar, pintar e prender madeira. Caso dê vontade, por que você mesmo não arrisca a fazer?

Fonte.

Aí a versatilidade dos caixotes de feira! Lixados e pintados, podem ser empilhados para formar estantes!

Fonte.

Nesse caso, os caixotes foram pintados de branco e empilhados ao lado da cama. Para fazer o topo, uma tábua de madeira foi apoiada nos caixotes laterais e mais caixotes de feira foram ordenados em cima.

GALERIA DE QUARTOS NO PINTEREST
Para se inspirar em quartos lindos e possíveis de reproduzir, acesse meu painel Quartos & Camas no Pinterest:

***
Gosto de quartos que são conscientes. As paredes são usadas, expressam personalidade e parecem tão confortáveis que não daria vontade de sair nem pra comer. Me amarro em pegar esses quartos de filmes e séries e transformar na realidade do “faça você mesmo gastando pouco”. Com criatividade e paixão, qualquer ambiente se transforma. Espero que você transforme o seu — e quando vir o filme de novo, observe o quarto da Hazel!

O que acha do quarto da Hazel Grace? Comente!

Arqueiro Verde troca de equipe pela quarta vez

Saudações tripulantes mal rebootados!

Mais um título da DC vai trocar a equipe criativa.

Arqueiro Verde

A bola da vez é Arrow, digo… Arqueiro VerdeJeff Lemire e Andrea Sorrentino sairão de cena no número 34 e serão substituídos por MarcGuggenheim, Ben Sokolowski e Daniel Sampere.

A vida do personagem sofrerá uma nova reviravolta e ele voltará pra Seattle numa busca por uma mulher misteriosa. Segundo os autores não eles pretendem levar para os quadrinhos o que está funcionando na série de TV e eles não economizarão retcons para conseguir o que pretendem.

Uma das mudanças que os atores pretendem fazer será exatamente na personalidade do protagonista. Eles querem trazer de volta o Oliver Queen comunista de antes dos Novos 52.  Apesar do sucesso de Arrow, o Oliver Queen de várzea não decolou nos quadrinhos e nem mesmo a fase que teve Jeff Lemire escrevendo o personagem conseguiu impedir a queda de vendas.

Não seria o primeiro personagem dos Novos 52 a ser cancelado devido a um reboot mal feito, mas seria o único personagem da história a perder o título com uma série de TV em exibição.  Essa seria a quarta mudança de rumo do personagem em menos de quatro anos de título porque até o momento fizeram de tudo, menos dar o que o público quer.

Que tal trazer o universo antigo de volta e só tentar escrever boas histórias?

Fonte: Bleeding Cool

Adam Warlock no Vingadores?

No final de semana, Jim Starlin postou um curioso link em seu Facebook.

Informações de Adam Warlock em Vingadores

Segundo o site indicado a trama do terceiro Vingadores seria a Saga do Infinito. Se a suposição for verdadeira, Adam Warlock, que foi um personagem importante nas histórias do Infinito faria sua primeira aparição nos cinemas.

Com o surgimento de Thanos no primeiro Vingadores e as joias do infinito sendo citadas em todos os filmes “cósmicos” da Marvel

E é sempre bom lembrar que Starlin chegou a ser proibido de usar suas duas criações. Após ter ressuscitado Adam Warlock em uma de suas sagas, o artista foi avisado que a Marvel tinha outros planos para suas criações e ele foi obrigado a abandonar o novo projeto que envolveria Thanos e Warlock e foi ressuscitar o título Savage Hulk.

Em seu Facebook Starlin informou que recebeu a permissão da editora para usar os dois personagens, o que garante que a qualquer momento veremos Infinity Duel, a próxima saga de seus personagens.

Será que teremos Warlock e suas pérolas niilistas nos cinemas? Você gostaria de ver uma versão live action do personagem?